Recentemente, o site americano BoingBoing completou 10 anos e decidiu inovar no seu layout. Decidiram usar da nova tecnologia e utilizar CSS3 e o código @font-face, que permite utilizar uma fonte personalizada nos sites. Mas algo deu muito errado.

BoingBoing antes e depois da atualização de visual. Estilo mais retrô.

BoingBoing antes e depois da atualização de visual. Estilo mais retrô.

Embora a função @font-face do CSS3 seja suportado pelas versões mais novas do Safari, Firefox, Opera e Chrome, usuários do Windows XP não possuem a opção de anti-aliasing ligada (já que não é padrão no sistema operacional). Sem levar em conta que o @font-face ainda é um rascunho do CSS3 e ainda não é suportado por nenhuma versão do Internet Explorer. Levando tudo isso em conta, imagine se um site gigante decide reformular seu site inteiro usando CSS3.

A BoingBoing redesenhou seu site inteiro, mas os títulos dos textos apareciam de forma diferente em cada navegador de cada sistema operacional, principalmente em Internet Explorer no Windows XP – que ainda era uma das maiores parcelas do padrão de usuários que acessam aquele site. Muita gente gritou e esperneou que o site ficou “terrível”, sendo que na verdade era o navegador e sistema operacional delas que estava interpretando de forma errônea o código CSS.

Após muita gritaria, os donos do site decidiram remover aquela fonte que estava causando problemas e substituíram pela boa e velha Helvetica. Isto levanta a discussão: será que a web não está pronta pro HTML5 e CSS3?

Você, web designer, acha que já dá pra começar a implementar códigos CSS3 em seus sites?

Gostou? Compartilhe!

Comentários fechados