Recebo vários e-mails por dia vindos do Design Blog. Alguns são dúvidas, outras sugestões. Resolvi compilar as dúvidas mais interessantes e responder por aqui mesmo, pois a dúvida de um pode ser a dúvida de muitos outros. Caso você tenha alguma dúvida também, entre em contato.

Perguntas dos leitores

RH ou caça por conta própria?

Faço trabalhos gráficos há uns 5 anos mas só agora resolvi correr atrás de trabalhos como freelancer. Já tenho um emprego fixo, então estou procurando um extra mesmo, se possível, gostaria que me indicasse o que acha melhor: pagar uma empresa que interliga profissionais à empresas ou procurar algo enviando e-mails para agências? – Julio Santos

Aí depende do quanto você quer investir de tempo. Se não quiser ter que ficar procurando, a empresa de recursos humanos pode te ajudar. Já se você tiver vontade, garra e muita (muita!) paciência, corra atrás das agências. Pró-atividade conta como pontos positivos na hora de contratar alguém. Mas vale lembrar que caçar emprego é desgastante, ainda mais quando você quer um emprego numa determinada agência.

Em qual mercado investir?

Canha, você acha que vale a pena investir em outros ramos do design sem ser nem design digital, nem branding? Você acredita que design digital e branding tem mais oportunidades de emprego e melhores salários que os outros ramos? – Rafael Mello

Rafael, minha sugestão é: procure nichos de mercado. Existem infinitas possibilidades. Eu, por exemplo, parti para o nicho de design de blogs. Deu super certo, pois é uma área que tem uma certa carência no mercado brasileiro. A minha esposa fotografa gestantes e a agenda dela está lotada de sessões pelos próximos meses. Nicho de mercado, quando bem trabalhado, rende bastante. O ideal é você procurar algo pouco explorado; design para farmácias, por exemplo.

Quanto ao design digital e branding terem oportunidades de emprego com salário maior, varia de região para região. O valor pago a um designer em São Paulo é alto comparado a Curitiba – no entanto, o custo de vida das duas cidades é muito diferente também. Aqui, em Curitiba, R$ 500 em um job equivale a R$ 1.000 em um job prestado por alguém de São Paulo (com a mesma qualidade). Já em relação a quantia de empregos disponíveis para esta área, não sei te dizer. Basta dar uma olhada no mercado da sua cidade para ver se é muito saturado.

Onde achar um briefing personalizado?

Como faço para calcular o tempo de criação de minhas peças. Ex.: X horas para logos, Y horas para um cartão, etc? Outra dúvida: só encontro briefing de web e outros não do ramo, você teria ou saberia de algum modelo de briefing de criação gráfica? Procurei em muitos lugares, mas não achei um bom e bem específico. – Michel Chibeni

Michel, a resposta da primeira pergunta é fácil: Use um cronômetro. Depois, faça uma média aproximada do tempo que se gasta.

Quanto ao briefing, ele nada mais é do que um documento com as informações que você precisa para conseguir fazer um trabalho. O melhor briefing é aquele que você mesmo cria. O que você precisa saber do cliente? O nome dele, o endereço, o que ele precisa, o que ele faz, como ele faz, a quanto tempo está no mercado, quem são os concorrentes, etc, etc. Só você vai poder criar um briefing 100% ideal para o seu trabalho.

Você tem alguma dúvida? Entre em contato!

Gostou? Compartilhe!

Comentários fechados