A cada ano centenas de pessoas ingressam no mercado de trabalho, infelizmente, a maioria delas começa pensando em trabalhar naquilo que da mais dinheiro. Mas será que esse realmente é o caminho correto a se seguir?

Escolher uma profissão nunca é uma tarefa fácil, para ninguém. Por mais que se saiba exatamente do que se gosta, o que quer fazer pelo resto da vida, inúmeros outros fatores entram em jogo. Pretensão salarial, preferencias da família, disponibilidade para estudar, etc. A maioria destes fatores, embora não devessem, acabam influenciando na escolha da profissão, mas o dinheiro sempre é um dos fatores que mais pesa na balança das escolhas.

O porque do dinheiro

Tudo que queremos comer, vestir, escutar, etc, precisa ser comprado. Raras coisas são dadas de graça, e ter um reserva para emergências é de vital importância  Ai surge a dúvida: como deixar de lado o dinheiro na hora de tomar decisões tão importantes?

Infelizmente, deixar totalmente de lado é algo impossível. O dinheiro, assim como a disponibilidade de centros de ensino, é um dos fatores decisivos. A minha intenção com este texto não é fazer ninguém, acreditar que vivemos uma utopia onde todas as profissões são devidamente respeitadas e valorizadas, porque muitas deles (acredite, o Design não é a única área desvalorizada) sofrem com esse mal, e provavelmente isso ainda dure por muitos anos.

O que eu acho errado é deixar de considerar o que você QUER fazer para trabalhar com aquilo que da mais dinheiro. Pense bem, das 24 horas que você tem disponível a cada dia, você vai passar no mínimo 8 trabalhando. Oito horas de um trabalho que você não gosta durante anos, tendo que aturar uma série de problemas, etc, você realmente quer isso pra sua vida?

Faça aquilo que você faz de melhor, da melhor forma possível

Aqui um conselho para qualquer profissional, mas especialmente para aqueles que enfrentam muita concorrência: sempre de o seu melhor. Sim, o tempo atrapalha; sim, o cliente muitas vezes mais atrapalha do que ajuda, mas mesmo assim, sempre lute para fazer o melhor que conseguir, veja o dinheiro não como a meta principal de seu trabalho, mas como uma consequência do trabalho bem feito, essa pode ser a chave para seu sucesso profissional, e muito mais importante do que isso, a chave para a sua felicidade.

Chute o balde

O balde metafórico. Fonte: Stock.xchgn

Todos são suscetíveis a fazerem escolhas erradas, seguir caminhos que não levam a felicidade. Não temos como evitar isso, mas o poder de mudar esta com cada um. Quando você sentir que não dá mais, quando o sábado for seu dia favorito, e a segunda sempre for um tormento, reveja seus conceitos e se pule fora. Viver um tormento apenas para poder ganhar um salário bom no final do mês não vai lhe trazer felicidade, e afinal, de que vale ganhar bem se a maior parte do seu tempo você vai estar fazendo o que não gosta?

Uma pequena explicação

Talvez esse assunto aqui no Design.Blog pareça ter ficado deslocado, mas pense bem, quantos amigos você tem que acham o que você faz o máximo, querem muito trabalhar na área e não o fazem porque tem medo de perder os salários atuais?

Eu tenho até mesmo colegas de faculdade (e conheço muitos outros) que só vieram para o Design depois de tentaram trabalhar em outras áreas mais “nobres” e perceberam que não iriam conseguir. Quem sabe esse pequeno texto não possa ajudar outras pessoas a fazerem as escolhas corretas?

 

Gostou? Compartilhe!

Comentários fechados