Um dos primeiros artigos que escrevi no Digital Paper (a dois anos atrás) foi “Trabalho Freelance: Quanto cobrar?“. Estava na hora de atualizar ele e colocar mais algumas informações para responder a pergunta que todo freelancer se faz uma vez na vida: quanto devo cobrar pelo meu serviço?

Quanto cobrar por um serviço?

Defina seu preço-base

Pra começar, você precisa definir sua base de ganhos por hora. Qual o mínimo de dinheiro que você precisa pra cobrar pra cobrir suas despesas sem fazer lucro em cima? Isso é o que chamamos de preço-base.

Assim que você estabelecer uma base e começar a entender quer receber um centavo a menos seria ruim (um projeto de prejuízo) vai ficar mais fácil de determinar quanto de lucro você quer fazer. Logo, isso vai fornecer um seguro viável para seus projetos e pode ajudar a colocar um preço no seu trabalho no mercado competitivo atual.

Definir o preço-base requer um pouco de matemática básica e um pouco de adivinhação. Quanto você precisa pra sobreviver um mês? Divida isto pelo tanto de tempo que você trabalha e você terá seu preço-base.

Por exemplo, vamos supor que você tenha R$ 1.000 em contas todos mês – aluguel, água, luz, telefone e comida. Vou assumir que você trabalhe todo dia útil, das 9 da manhã até 6 da tarde, tirando uma hora de almoço. No total, seria 8 horas de trabalho por dia. Multiplicando por 5 dias na semana e quatro semanas por mês, temos um total de 160 horas de trabalho mensais. Para que você sobreviva, você precisa ganhar pelo menos R$ 6,25 a hora.

Defina seu lucro

Lucro é o que sobra depois de todas as contas terem sido pagas.

Se você cobrar seu preço-base a seus clientes, nunca terá lucro; todo mês, você terá suas contas pagas mas não sobrará nenhum dinheiro extra. Então como fazer para ter uma grana afim de investir em equipamento melhor ou aquela tão sonhada viagem ao Paraguai pra comprar muamba?

O lucro você vai inserir no seu preço-base na hora de cobrar do cliente. Aqui você tem duas opções: ter um lucro absurdo (ou seja, seu valor por hora vai lá em cima), no entanto você terá menos clientes ou diminuir seu lucro e nunca ter trabalho faltando. O ideal é achar um meio-termo: seu lucro é o suficiente para te incentivar a continuar trabalhando mas não tão pouco que você acabe trabalhando em 10 projetos por vez e fazendo todos eles com qualidade inferior.

Mas como se define o lucro? Lucro é o prêmio adicional pelo seu trabalho que contribuiu com o crescimento do negócio ou empresa do seu cliente. Se seu trabalho é diferente do de outros profissionais, se você tem aquele diferencial que mais ninguém tem, você pode obter um lucro maior por causa da exclusividade. Por exemplo, se seu atendimento ao cliente é excelente, você trabalha mais rápido que seus concorrentes ou qualquer outro diferencial, seu lucro poderá ser maior. E é aqui que entra a parte de adivinhação.

Quanto vale seu diferencial? Quanto você honestamente acha que seu trabalho vale? Dez porcento em cima do seu preço-base? Vinte? Cem? Duzentos? Aqui vai de você. Mas cuidado com sua escolha!

Seguindo nosso exemplo, vamos dizer que o lucro é de 100% do preço-base porque o serviço é excelente e você faz algo que nenhum outro profissional faz. De R$ 6,25 a hora, você passou a cobrar R$ 12,50. No fim do mês, seu ganho será de R$ 2.000 e o lucro será R$ 1.000.

Defina a duração do projeto

Essa é a variável final da equação, e a mais difícil também. Primeiro, você precisa saber exatamente o que seu cliente quer. E aí que entra a necessidade do briefing. Com isso em mãos, é necessário que você conheça-te a ti mesmo. Quanto tempo demora para você fazer um site parecido com o que o seu cliente quer? Quatro dias? Quatro semanas?

O briefing não serve apenas para medir quanto tempo você acha que vai precisar, mas também para ficar de olho no que pode ser feito, como pode ser feito e como estabelecer regras para que seu cliente não decida mudar tudo na última hora. Um briefing deve estabelecer claramente o que o cliente quer. Assim, você pode definir quanto vai cobrar pelo que está escrito no documento. Se o cliente decidir mudar algo ou pede por algo extra que não está incluso no documento, então o freelancer têm todo o direito de cobrar a mais pelo trabalho extra.

No nosso exemplo, vamos assumir que você vá precisar de pelo menos 20 dias para fazer o projeto daquele cliente. Ou seja, 160 horas.

Agora temos seu valor-base, sua porcentagem de lucro e o número de horas que vai demorar para finalizar um projeto. Está na hora da…

A Fórmula Mágica

Fórmula Mágica

Seguindo nosso exemplo, trabalhando por R$ 6,25 a hora, lucrando 100%, você estaria cobrando R$ 12,50 a hora. Multiplique pelo número de horas estimada (160) e pronto! O valor a ser cobrado é R$ 2.000.

Mas, peraí. Esse cálculo é óbvio, não é? Não. Muitos freelancers lá fora, quer sejam escritores, designers, programadores ou músicos continuamente falham em criar regras de trabalho quando o assunto é cobrar o projeto adequadamente.

Freqüentemente existe uma tendência de cobrar um preço abaixo do mercado; talvez pelo fato de que não têm idéia de quanto devem cobrar, talvez porque eles estão tão preocupados com adversários em potencial e acham que quanto menor o preço, melhor o preço, mas mais freqüentemente é porque eles não acertaram seu preço base, o lucro que querem ganhar em cima e o número de horas que vai demorar para completar um projeto.

Crie seu próprio preço-base e lucro e nunca ofereça um preço para um trabalho que seja menos do que você precisa pra sair sem prejuízo. Faça essas coisas básicas e seu preço sempre estará certo!

*Editado* – Obrigado Danillo e Rafael pelas correções.

Gostou? Compartilhe!

Participe da discussão!


60 respostas para “Quanto um freelancer deve cobrar?”

  1. Olá!

    Bem legal o artigo!

    Eu sou freelancer também, mas não consigo cobrar por horas trabalhadas. Acho quase impossível, porque atendo vários clientes por mês, trabalho em vários jobs ao mesmo tempo, vou finalizando um já vou começando outro, etc, etc. e no meu caso, cobrar por job é mais interessante.

    Mas pra quem está iniciando, pode ser uma boa forma de planejar e conquistar mais clientes, não cobrando muito, até porque ninguem te conhece ainda, e o bastante pra que trabalhe com prazer, podendo assim ir galgando melhores clientes e melhores valores no futuro.

    Parabéns pelo artigo!

    • Fernando disse:

      Arthur
      Boa Tarde,

      Nós desenvolvemos e gerenciamos nanowebsites. Uma das nossas frentes de trabalho é criação de textos de 3 a 4 paráfragos, com determinados critérios.

      Como funciona ?

      – Lhe passaremos um título (ex.: Como anunciar um veículo online ; Dicas para escolher melhor operadora de celular).

      – Você deverá desenvolver um texto de 3 a 4 parágrafos (lhe mostraremos alguns modelos) com inclusão no texto de certas palavras-chaves (lhe indicaremos as palavavras chaves também).

      -As palavars-chaves deverão estar no texto numa quantidade mínima, a qual lhe passaremos também.

      -Lhe passaremos dicas de como produzir textos rapidamente baseando-se em outras fontes.

      se estiver interessado entre em contato conosco
      http://www.nanowebsolutions.com.br ou nanowebsolutions@gmail.com

      att Fernando

  2. Olá. Parabéns pelo artigo.

    É difícil trazer para nós, prestadores de serviço, o conceito de preço de custo. Sim, nós temos preço de custo (O SEBRAE prega muito isso). E gostei da forma que você apresentou: “quanto você gasta por mês”.

    Abraços

  3. […] Essa é a pergunta mais difícil de responder, e muitas vezes não depende do quão bom ele é. O seja, depende: depende da empresa onde ele trabalha, da cidade onde reside, do estado, o cenário da profissão na área dele, se é estagiário, formado, freelancer, etc. Do mesmo jeito que um médico pode ganhar muito, também pode ganhar pouco. Em Curitiba – PR há um mercado bem saturado de designers; em cada esquina é possível encontrar um escritório de design ou uma gráfica. Encontrar um estágio como estudante é fácil, o problema surge depois que você se forma. Já no norte (em Pernambuco por exemplo) é dificíl encontrar designers, porém o mercado requer poucos pois a população e as empresas ainda não enxergam o propósito de se ter um designer. Para saber quanto um designer ganha em sua região, o melhor seria encontrar um profissional que possa te dizer como o cenário atual dali está. Artigo relacionado no Design Blog: Freelancer, quanto cobrar? […]

  4. sandra correa disse:

    Vou trabalhar nesse ramo mes que vem, e as informações acima são otimas principalmente para mim que não tenho experiencia no ramo,
    obrigada pessoal.

  5. […] de Design!Powered by WP Greet BoxExiste um artigo mais atual. Por favor acesse este novo artigo: http://design.blog.br/freelance/quanto-um-freelancer-deve-cobrar. […]

  6. Leidamar Cirilo disse:

    Muito bacana o seu esclarecimento. As pessoas parecem ter
    dificuldade em colocar o preço em seus serviços. Digo isto baseado na minha dificuldade. Presto assessoria na área assistencial (administro a vida de uma senhora que vive em um residencial para idosos) e fico 24 horas antenada, ou seja, monitorando à distência, porém fisicamente estou com ela apenas uma vez por semana para realizar atividades de saude e lazer. Para estar com ela gasto três horas em viagem. Todas as despesas de alimentação e transporte correm por conta dela. Gostaria que me desse, se possível, orientação de como calcular meus honorários.
    Um abraço e obrigada.

  7. como eu gostaria que todos os “designers” pudessem ler esse artigo.
    é possível encontrar designer em todo lugar, mas com serviços meia boca.

    fazendo o seu trabalho bem feito é possível cobrar um preço justo e o cliente sabe disso, ele soh eh mao fechada; e muitos preferem contratar designers que cobram R$ 200, mas eles recebem o projeto final tao bom quanto o preço que pagam hehehe.

    muito bom o artigo.

  8. TMeirelles disse:

    Mt bom o artigo! Realmente da pra fazer uma analise perante ao q cobrar ……. mt bom .. parabens !

  9. […] de custo-fixo e só entendi o mecanismo no artigo do Sean “Canha” entitulado “Quanto um freelancer deve cobrar?“. Recomendo avidamente a leitura do […]

  10. Muito bom o artigo ! Também sou freelancer e tenho dificuldade em quanto cobrar ! muito bom !

  11. Sivaldo Gomes disse:

    Acredito que quanto mais tempo atuamos na área, ficaremos mais por dentro do assunto.
    ótima este artigo, acredito que somente desenvolvendo a profissão (praticando), saberemos o tempo gasto e cada trabalho!!!

  12. Olá. Parabéns pelo artigo.
    Estava lendo uns artigos na Internet e acabei vindo parar em seu blog, me deparando com seu artigo.
    Você tratou de forma eficaz e direta um assunto que outras pessoas só rodeiam sem falar nada. Muito bom!
    Abraços.

  13. Ádria disse:

    Adorei o artigo, sou designer textil e o povo me paga por cor do desenho, mas faço também desenhos de designer grafico e minha maior dificuldade é cobrar por arte, o preço por projeto é bem legal já resolvi essa parte, mas faço arte para empresas de brindes e eles querem saber o valor por arte ai que tenho a dificuldade. uma abraço e parabens pelo blog…

  14. guerraluana disse:

    Estou no começo da carreira da ilustração e o pessoal está começando a me pedir trabalhos… como não tenho idéia alguma de quanto cobrar, isso era exatamente o que eu estava precisando! Muito útil e bem explicadinho, pra não ter dúvidas mesmo! Muito obrigada e parabéns pelo blog!

  15. Carlos disse:

    Acho que esse preço base só serve pra um Start de valor, tem outros fatores que irão fazer esse valor subir, por exemplo vc tem que assumir que vc não vai trabalhar o tempo inteiro, todo o freelancer fica dias sem trabalhar,…. e outros dias fica com muito trabalho,… geralmente entram de uma vez, esse calculo de ócio tem que estar na conta, alguém no final, vai ter que pagar pelos dias ociosos….. eu particularmente em algumas vezes uso hora/homem, outras vezes preço fechado! :)

  16. amanda disse:

    Adorei o artigo :]

  17. Primeiramente, parabéns pelo artigo, inteligente e direto.
    Mas penso como o Carlos, tem alguns outros fatores que influênciam no preço. Mesmo que você cite algumas coisas no início.
    Creio que até mesmo o cliente entraria nessa conta, para ela não ter defeito.
    Parabéns. Bom para fortalecer a classe dos "freelance`s".

  18. promo7lagoas disse:

    Eu particularmente achei interessantes essa questão dos valores. Realmente existem inúmeras variáveis. Como planejamento, criação, acompanhamento, relatórios, etc… Esses outros trabalho relacionados com o projeto entram nessa conta? Em uma agencia temos valores variáveis para cada setor (cada setor tem seu valor). Podemos como free utilizar estas variáveis? como ficaria?

  19. promo7lagoas disse:

    Qual sua experiência com tabelas (ex tabela com valores para o trabalho dos designers) > pra mim elas nunca foram tão justas e muito irreais para minha realidade. Tenho experiência de mais de 2 anos no ramo e nunca consegui ganhar dinheiro tão fácil com o design. Porem acho que sua forma de cálculo é bastante justa. . Obrigado e aguardo uma resposta

  20. André disse:

    Ótima matéria. Realmente são muito boas as dicas. Confesso que ajudaram muito para eu encontrar um preço perto do ideal para meus trabalhos.

    Vou colocar essa matéria lá no meu Blog.

    Parabéns.

  21. Ótimo post. Saber formar o preço é vital para não afundar.

  22. Carolina disse:

    MUITO BOM!!!
    Valeu pelas dicas, confesso que me ajudaram muuuuuito…

  23. marinices disse:

    Olá,

    Acabei de conhecer o seu site e gostei muito, parabéns :) e obrigada pelas dicas.

  24. […] Para resolver isso eu recomendo que leiam o ótimo artigo do Sean Canha de título “Quanto um freelancer deve cobrar?” e seja feliz! A resposta está aqui! Se você sabe cobrar, saberá quanto pode baixar o seu […]

  25. […] e casos reais de Airey e outros designer famosos, o autor cobre até a perigosa pergunta de “quanto cobrar por um logo” (mesmo que apenas superficialmente). Para quem é iniciante na área, várias dicas valiosas […]

  26. lemon9 disse:

    Muito bom o artigo, eu que estou começando quero começar certo, e esse artigo mostra o caminho.

  27. Inara disse:

    Muito bom mesmo, me ajudou muito. Estou começando agora a trabalhar freelancer e tava muito em dúvida. Valeu!

  28. Muito bom!! Parabéns pelo post…ajudou muito!

  29. Marcelo Teixeira disse:

    Espero que esta tabela em excel venha a ajudar neste cálculo de preços a mesma está no Google Code para quem quiser usar e também ajudar a melhorar serve para qualquer freela, que queira usar para definir o valor de um trabalho. Espero ajudar aos leitores deste blog e que os mesmos possam colaborar com melhorias e idéias http://code.google.com/p/calculo-freelance/

  30. gillenew disse:

    Muito bom, me ajudou e MUITO, eu realmente não sabia quanto cobrar e quanto tempo gastaria pra fazer um projeto, agora tenho uma noção melhor das coisas e estou me dando muito bem :D

  31. Diego Lins disse:

    Como iniciante na área, procuro sempre estudar tudo que envolve o trabalho de Designer. Pretendo crescer na área e com as técnicas aqui postadas me sinto motivado. GTD ajuda a organizar, de certa forma, as horas de trabalho, e esse post sobre quanto um freelance deve cobrar ajuda a saber usar os resultados do GTD e converter em números ($).

  32. tere disse:

    olá !! gostaria muito de saber qual é a diferença entre freelancer e designer ,
    também gostaria de saber quanto um disegner de ônibus ganha …
    obrigada pela atenção

    • canha disse:

      Freelancer = profissional liberal (sem vínculos a nenhuma empresa)
      Designer = profissional da área de design.
      Um designer pode ser freelancer, mas o freelancer nem sempre é um designer.

      E, designer de ônibus? Acho que isto nem sequer existe. Você deve estar pensando em design automobilístico ou design de produtos.

  33. […] uma tabela de preços para logo, flyer, site, banner, etc?”. Embora eu já tenha um artigo de como calcular quanto você deve cobrar, admito que ele é um pouco antigo e não tão completo. Então, neste artigo, vou ir mais a fundo […]

  34. […] Essa é a pergunta mais difícil de responder, e muitas vezes não depende do quão bom ele é. O seja, depende: depende da empresa onde ele trabalha, da cidade onde reside, do estado, o cenário da profissão na área dele, se é estagiário, formado, freelancer, etc. Do mesmo jeito que um médico pode ganhar muito, também pode ganhar pouco. Em Curitiba – PR há um mercado bem saturado de designers; em cada esquina é possível encontrar um escritório de design ou uma gráfica. Encontrar um estágio como estudante é fácil, o problema surge depois que você se forma. Já no norte (em Pernambuco por exemplo) é dificíl encontrar designers, porém o mercado requer poucos pois a população e as empresas ainda não enxergam o propósito de se ter um designer. Para saber quanto um designer ganha em sua região, o melhor seria encontrar um profissional que possa te dizer como o cenário atual dali está. Artigo relacionado no Design Blog: Freelancer, quanto cobrar? […]

  35. […] muita coisa na web sobre o assunto e um artigo do Sean Canha me deu uma luz sobre precificação. Pra quem ainda não sabe, a hora-técnica é a base do […]

  36. […] texto que eu escrevi para a galera do Carreira Solo eu mencionei um artigo do Sean Canha do Design Blog, onde ele explica como cobrar baseado em hora-técnica. Foi um artigo fundamental nesses últimos […]

  37. Lendo estes artigos consigo identificar que ainda falta muito pra eu chegar ao que se diga “Designer”, ainda nao tenho experiência suficiente, e olha que ja trabalho a mais de 6 anos no ramo.
    Mas com esses novos conceitos acredito que dentro de pouco tempo, meu trabalho vai ser completamente diferente do que é hoje!!!
    Existe sempre aquela diferença Micreiro x Designer.

  38. Cara agora eu vi quanto eu cobro barato pelos serviços, mudanças ocorreram a partir de hoje.

  39. Arthur Felipe disse:

    Gostei de mais do post, varias duvidas tiradas valeu mesmo cara..

  40. Rafael Moran disse:

    cara, gostei de mais desse post, mas ainda tenho uma duvida.
    Após o projeto ser entregue, o sistema do cliente esta no ar e funcionando perfeitamente.
    caso necessite de Manutençao, com é cobrado ? ja escutei de pessoas da área cobrarem mensalidade.

  41. […] Referência: Cálculo do preço da hora: Design.Blog; Tags:freelancer Gostou do artigo? […]

  42. Sensacional este artigo, que estava precisando. Obrigado

  43. Lori disse:

    Na boa, 2000 reais por 160 horas de trabalho? É isso mesmo?

  44. […] um post muito esclarecedor e de fácil entendimento, o Design Blog propõe uma resposta para esta pergunta. Segundo o autor, a primeira coisa a fazer é definir o […]

  45. […] uma tabela de preços para logo, flyer, site, banner, etc?”. Embora eu já tenha um artigo de como calcular quanto você deve cobrar, admito que ele é um pouco antigo e não tão completo. Então, neste artigo, vou ir mais a fundo […]

  46. […] contas a pagar, equipamentos a comprar e precisa sobreviver. Você já fez suas contas e sabe que não pode cobrar um valor muito baixo, não […]

  47. […] texto que eu escrevi para a galera do Carreira Solo eu mencionei um artigo do Sean Canha do Design Blog, onde ele explica como cobrar baseado em hora-técnica. Foi um artigo fundamental nesses últimos […]

  48. Vanessa Magalhães disse:

    De facto estas dicas são muito boas. Obrigada pela ajuda. Cada vez mais vejo designers a cobrar preços absurdos e por essa mesma razão, o mercado está viciado e cada vez mais é difícil arranjar clientes com preços justos. Muito boa sorte para o trabalho :)

  49. Paty disse:

    Mt bom. Obrigada

  50. Mateus disse:

    Muito bom mesmo gostei, segui o que eu pensei: se eu estipular o meu salário de 3000 reais e trabalhar 20 dias e 5 horas por dia ficará 3000 dividido por 20 dividido por 5 = 30 reais a hora. Como o mês só tem 4 semanas e eu optar em concluir o trabalho em uma semana por cliente é só eu multiplicar 30 reais vezes 5 horas vezes 5 dias semanais = 750 reais por site feito para um cliente por semana. Nem fica caro e vc terá prazo de 25hrs pra fazer o site a preço de 750 reais.

  51. Robert disse:

    Olá, muito bom artigo. Objetivo e direto , simples e fácil. É assim que deve ser parabéns!

  52. guilhermeh2 disse:

    Design e codificação de um site é cobrado junto ou separado do valor hora/base ?

    Por exemplo o cliente quer um site, então cobro pelo projeto pronto ou não ?

    att

  53. Marcondes Souza disse:

    Fala meu amigo, kra muito bom esse artigo, após essa leitura bem proveitosa que consegui formular meu preço. Estou começando no ramo de freelancer em Planejamento de Projetos e esse artigo me deu uma tremenda ajuda !!!! Parabéns !!!
    Abraços.

Deixe uma resposta