Ter laços profissionais fortes com os clientes é de suma importância para qualquer Designer, afinal, são esses laços que abrem portas para um melhor networking, e consequentemente, mais projetos.

1. Entenda o cliente e faça aquilo que ele precisa

Se “apaixonar” por alguns projetos, e querer fazer um trabalho para o nosso portfólio, e não para o cliente é comum no Design. No entanto, sempre devemos nos lembrar de que não somos artistas, logo, não devemos imprimir um estilo em nossos projetos. Entender o que o cliente realmente precisa, e projetar para atender a estes requerimentos é o caminho certo. Projetamos para nossos clientes, não para nosso portfólio.

Realmente, projetar pensando na exposição do trabalho permite ao projetista (ou ao escritório) uma ótima fonte de publicidade, afinal, todos os trabalhos serão feitos visando promover os serviços. Em contrapartida, é provável que a empresa que está lhe pagando para fazer esse serviço tenha apenas prejuízo, afinal, as reais necessidades do cliente não foram levadas em consideração, sendo assim o projeto provavelmente não funcionará.

2. Manter uma relação ética e profissional com os clientes

Esta talvez seja uma das piores coisas em qualquer profissão: se relacionar de forma profissional com os clientes. Quem trabalha como frelancer ou tem um escritório, sabe que sempre que um parente ou amigo próximo pede um trabalho, é mais complicado cobrar um valor justo pelo trabalho, além de que os laços de amizade e a proximidade maior podem dificultar o andamento do projeto.

Quando a relação com o cliente é muito grande, muitas vezes pode ser melhor não aceitar o projeto, pois misturar relações pessoais com profissionais pode acabar acarretando desavenças.

© Yuri Arcurs – Fotolia.com

Também é interessante manter uma relação profissional com os demais clientes, ou seja, manter contato com todos os clientes, mesmo depois de entregues os projetos, mas de preferência não criar laços que vão além do profissional (fazer grandes amizades com clientes pode não ser uma boa ideia).

Manter uma relação ética com todos os seus clientes facilita a criação de laços de confiança, tão importantes no mercado de trabalho. A confiança do cliente em uma empresa, ou profissional, não se constrói da noite para o dia, mas se perde facilmente; por isso, nunca cometa faltas éticas com seu cliente, e sempre fale a verdade. Mentiras no ambiente corporativo não só corroem a confiança e credibilidade como também podem acarretar punições legais.

3. Ninguém conhece melhor o público do seu cliente do que ele mesmo

Desenvolver um projeto exige conhecimento acerca do público de seu cliente, e ninguém conhece melhor esse público do que o próprio cliente. Seja humilde e converse sinceramente com o contratante de seus serviços, questione-o sobre o público do projeto, peça que ele lhe dê o maior número possível de informações a respeito do público alvo do projeto, isso é de grande ajuda em qualquer projeto.

Também é importante que você não tente alterar a maneira como o cliente trata o público dele antes de conhecer exatamente esse público. Muitas vezes a relação que temos com nosso clientes é bem diferente daquela que eles têm com o público deles, e isso não quer dizer que eles estejam errados, e sim que são pessoas diferentes, que exigem relacionamentos diferentes.

4. Manter relações duráveis com os clientes

Como já mencionei em um post anterior, manter uma relação duradoura com os clientes, sem nunca perder o contato, podem lhe render vários outros trabalhos, além de um canal de divulgação de seu próprio trabalho. Por exemplo, você projetou um logo para a loja X, mas mesmo depois de entregue o projeto, continuou mantendo o contato com quem lhe pediu o logo. Digamos que o dono da loja X tenha um amigo que vai começar um novo negócio e precisa de alguém para desenvolver o material gráfico, quem você acha que provavelmente será recomendado?

Manter as relações com antigos clientes não quer dizer ligar todo dia perguntando sobre como vão os negócios, mesmo com atitudes simples, como um e-mail enviado no dia do aniversário parabenizando a pessoa (ou no aniversário da empresa, caso você saiba), um cartão desejando feliz Natal, etc., são atitudes simples, mas de enorme valor no mercado, pois demonstram a sua preocupação em manter os clientes, mesmo depois do fim do contrato.

5. A famosa comissão de gráfica

Todo Designer gráfico sabe o que é comissão de gráfica, e as discussões a respeito de cobrá-la ou não parecem ser infinitas. Pessoalmente, acredito que comissão de gráfica nada mais é do que uma forma de corrupção mascarada. Cabe a cada profissional saber até onde seus limites éticos permitem ir, mas considere que ao cobrar comissão de gráfica não está apenas explorando os limites éticos da profissão, mas ajudando a piorá-la ainda mais (o Design já tem problemas suficientes para criarmos outros).

Também é interessante que quando apresente seus valores para o cliente deixe específico que não cobra comissão de gráfica, e se esse não souber o que isso significa, aproveite para lhe explicar o que é. Desta forma o cliente sabe exatamente qual o destino do dinheiro que ele está investindo.

6. Se não souber, não faça

O Design tem inúmeras áreas de atuação, e ninguém domina todas elas. Quando um cliente lhe pedir algo que você não sabe fazer, seja humilde e sincero e diga que isso vai além da sua área de atuação. É muito melhor indicar um profissional especializado e não pegar o projeto do que agarrar um projeto que você não é capaz de fazer e acabar fracassando no meio do caminho.

Quando você não tem domínio de apenas parte do projeto, pode ser viável terceirizar esta etapa. Isso é muito comum com projetos gráficos que usam ilustrações: o designer gráfico desenvolve todo o projeto, exceto a ilustração, que é feita por um profissional especializado nesta área.

Dessa forma você terá a certeza de que no final só estará entregando um material de qualidade para seu cliente. Lembrando que mais tarde for usar este projeto em seu portfólio deve indicar os demais profissionais envolvidos.

7. Respeitar contratos

É óbvio, mas é sempre bom lembrar. A maioria dos projetos desenvolvidos hoje em dia são protegidos por contratos de serviço, que garante uma segurança maior para ambas as partes. Respeitar prazos, sigilo de mercado, etc., são coisas essenciais. Uma quebra de contrato pode acarretar uma série de problemas sérios para você ou sua empresa. Além da punição legal a reputação da agência pode ser perdida facilmente. Lembre-se: são necessários anos para estabelecer confiança e segurança em uma marca, mas apenas alguns segundos para jogar tudo isso fora.

Respeite o contrato. (Foto © lichtmeister – Fotolia.com)

Principalmente quando se trabalha com identidade visual, é comum ter que manter relações sigilosas. Vazamentos de informações são inaceitáveis em vários projetos, e para evitar tal acontecimento, principalmente quando se trata de um escritório, é importante que todos tenham plena consciência da importância de guardar segredos sobre o projeto e conheçam as conseqüências que um vazamento de informações pode acarretar.

8. Prometa (e traga) resultados

Quando um cliente lhe procura, ele estará lhe pagando porque ele quer resultados. Quando você aceita um projeto é importante ter em mente que você esta assumindo a responsabilidade não apenas por fazer “algo bonitinho”, mas por trazer resultados para a empresa. Resultados, em sua maioria significam mais lucros, e quando se envolve dinheiro em uma situação, a tendência é que as pessoas se tornem bem mais exigentes.

Quando projetar, tenha definido quem o projeto vai atingir no final, quais resultados o cliente quer, e quais resultados você pode trazer. Nunca engane seus cliente dizendo ser capaz de lhe render 2X se você só consegue X, isso não vale a pena, e agindo assim só ira conseguir um grande dor de cabeça e um cliente que além de nunca mais trabalhar com você ainda saíra falando mal do seu trabalho.

Pense também na durabilidade do projeto, principalmente se for um trabalho maior, como a identidade visual. Um projeto durável não é aquele que dura 2 ou 3 anos, mas sim aquele que se estende através dos anos sem ficar antiquado. Equilibrar todos esses fatores pode ser complicado, mas pode ter certeza, de que agindo de forma correta e digna, seu trabalho será valorizado e o reconhecimento um dia virá, basta ter paciência e continuar trabalhando duro. 

Foto de capa: © Ptahi – Fotolia.com
Gostou? Compartilhe!

Comentários fechados