No último post discuti sobre as propriedades e fabricação do papel, agora falarei sobre algumas de suas características e os principais problemas técnicos envolvendo papel.

Características mecânicas

O papel também passa por uma série de testes de força mecânica, cujos resultados são importantes na hora de decidir quais materiais usar:

  • Resistência á tração – a força que precisa ser empregada para que as fibras do papel arrebentem. Geralmente as fibras são bem fortes, e para arrebentar uma folha de papel é preciso bastante força;
  • Resistência ao rasgo – dispensa explicações (!);
  • Resistência à dobras – alguns papéis são bem mais resistentes a múltiplas dobras do que outros. Um papel que será usado para uma embalagem, por exemplo, tem que ter uma boa resistência a múltiplas dobras (abrir e fechar a embalagem diversas vezes, se o papel for frágil a embalagem vai rasgar logo).

Características químicas

  • Ph do papel – papéis com níveis mais altos de acidez tendem a amarelar com o tempo, livros antigos usavam papéis mais ácidos, por isso é comum que livros antigos sejam amarelados. Além disso algumas tintas especiais não se comportam bem sobre papéis de Ph ácido.
  • Resistência a radiação UV – refere-se a resistência que o papel tem quando exposto ao sol. O papel jornal, por exemplo, tem uma resistência muito baixa: um dia inteiro à luz do sol e ele já amarela.

Problemas com o papel

Umidade

A umidade exerce uma grande influencia sobre o papel, uma vez que variações de umidade provocam alterações no tamanho do papel. Mesmo uma alteração de 1mm ou 2mm, já basta para dar problemas, principalmente no encaixe das cores e refile.

Gráficas maiores geralmente tem um controle de temperatura e umidade para evitar esse tipo de problema.

Penugem/arrancamento

Pode acontecer de pequenas impurezas se depositarem sobre a folha ou da tinta usada estar muito viscosa, dessa forma pequenos pedaços da folha são “arrancados” na hora da impressão. Esse tipo de problema não tem muita influência do designer, sendo geralmente um defeito da gráfica. No entanto, trabalhos com “pintas” mal impressas, podem indicar falhas da gráfica na higienização do ambiente e tratamento das tintas.

Esquadro

Problema bem comum em folhas mais baratas, que muitas vezes são feitas a partir de refugos de outros cortes. Folhas fora do esquadro são tortas em algum (ou alguns) dos lados. O erro de corte costuma ser pequeno, imperceptível quando a folha ainda está em branco. Na hora da impressão, no entanto, esse erro dá uma grande dor de cabeça, sendo que muitas vezes é preciso por as folhas no esquadro antes de imprimir.

Redução de espessura após a impressão

Papéis de corpo mais elevado podem ter uma perde de 3% à 5% após a impressão. Parece pouco, mas em um livro de várias páginas o problema pode ser bem significativo.

Decalque

Problema comum em folhas revestidas (couché). Quando as folhas são impressas e colocadas umas sobre as outras sem que se dê o tempo de secagem adequado, a tinta de uma folha “mancha” (faz um decalque!) as demais. Aumentar o tempo de secagem, usar tintas especiais (no lugar de combinar as cores CMYK usar apenas uma cor especial reduz a carga de tinta) e fazer pilhas menores de folhas são medidas que reduzem esse problema.

E você, tem algo mais à acrescentar a este post?

Gostou? Compartilhe!
Você também vai gostar de

Participe da discussão!


  • Pingback: Como é a fabricação do papel e suas propriedades? - Design Blog

  • Leonardo

    Referente a parte do decalque, as pilhas não influenciam tanto, o que mais influencia para decalcar um material é na hora do corte, caso o impresso não esteja totalmente seco e se o impressor forçou muito a carga de tinta e não usou um pó que é colocado na máquina.